2021 já começou!



 

Começo esclarecendo que não abordarei em nenhum momento neste artigo as expressões “crise” nem o popular “novo normal”.  Enquanto a primeira tem apontado um negativismo hiperbólico, como se nunca antes o mercado tivesse passado por outras situações tão complexas, a segunda me remete a um otimismo surrado, um chavão que me faz pensar que tudo o que fizemos até ontem se tornou obsoleto e descartável. O ser humano é habituado a rearranjos e não vai ser esta a última vez que teremos que nos remodelar.

E já fazendo um gancho com nosso bate papo de hoje, existe coisa mais velha e normal do que elaborar orçamento? Nesse segundo semestre todos já deveriam estar se dedicando a ele, afinal teríamos que estar pensando em 2021 desde o início de março, certo? Apesar da aparente letargia no mercado, há muito trabalho a ser feito.

Separei aqui 5 recomendações simples e diretas que aprendemos ao longo de nossos projetos de eficiência:

1- Revise a estratégia de curto e médio prazo, 2022 no máximo. Avalie o impacto do momento no seu negócio e transforme o orçamento em ferramenta de gestão.

2- Vendas. É preciso estudar com profundidade as linhas de receitas. Reavaliar o comportamento do cliente, ajustar a jornada de consumo e afinar os canais de distribuição. Por vezes, é preciso ir até o detalhe de cada produto.

3- Custos. É natural neste momento o movimento de concentração de fornecedores. Isso significa possibilidade de renegociações com o devido cuidado de não depender em demasia de um único provedor. Este é o momento de investir tempo em P&D e de Supply pesquisar novos fornecedores.

4- Despesas. Esta é a deferência de maior contribuição para a recuperação de resultados. Separe os gastos em pacotes, como por exemplo: gastos que impactam nas vendas, administrativos, tecnologia, projetos, etc.

5- Mão de obra. Classifique e revise os processos quanto ao impacto para o negócio. Analise em esteira a ordem lógica dos processos. Centralize atividades transacionais e libere tempo de atendimento de áreas estratégicas. Atenção aos custos variáveis com horas extras!

Cada um desses passos possui uma finalidade específica, mas juntos possuem um efeito muito mais estratégico do que uma ferramenta a mais de controle. O orçamento empresarial traz a agilidade para tomada de decisão e a vantagem competitiva que todo gestor gostaria de ter em tempos de VUCA (volatiity – uncertainty – complexity – ambiguity)! Você está preparado para este novo prometi-não-abordar-mais-essa-expressão?

 

Para saber mais sobre o tema, confira nosso livro “Revolução Orçamentária – o Avanço do Orçamento Base Zero”, disponível para aquisição aqui.