Inovação como nova fonte de receita



 

Hoje, se você perguntar 10 vezes o que é inovação, vai ouvir 11 respostas diferentes. A que tem maior frequência são  produtos, serviços ou ferramentas contendo tecnologias digitais em forma de softwares ou aplicativos. Mas inovação significa criar algo novo. Seja um produto, um serviço, um modelo de negócio ou até mesmo executar a mesma tarefa de forma diferente. Ser for uma inovação inédita, hoje ela é dita como disruptiva. Mas a inovação de verdade ocorre nas pequenas mudanças de comportamento de cada um de nós. Nossa espécie evoluiu inovando seu comportamento dia a dia. Recentemente, me surpreendi ao ver o letreiro de uma loja em São Paulo: Lavanderia OMO. Exatamente, a marca OMO, tão forte nos produtos de limpeza, agora também é uma lavanderia especializada, que recentemente adotou no Brasil o modelo de sua concorrente TIDE (P&G). Ainda são poucas lojas, mas o plano de expansão é ambicioso e será feito no modelo de franquias. Há uma preocupação em proporcionar uma experiência nova aos clientes brasileiros, que estão mudando o comportamento e agora têm a necessidade de lavar a própria roupa . Já vimos essa cena em vários filmes americanos. Ainda, a Lavanderia OMO oferecerá costura e reparos de roupas além lavagens especializadas em tapetes e cortinas. Imagino quantos paradigmas internos tiveram que ser quebrados para que essa iniciativa fosse aprovada.

 

Outro case bastante interessante é o da LEGO, que em 2004 quase fechou as portas, para em 2015 ser nomeada pela Forbes como uma das marcas mais poderosas do mundo. Alguns anos atrás, investiram acertadamente no licenciamento de marcas e estabeleceram parcerias até com o maior concorrente, o Minecraft, além de produtores de games e estúdios de cinema. Acertaram em abrir lojas próprias gerando mais proximidade e contato com os consumidores. Reforçaram a projeção de abertura de mais 120 lojas ainda esse ano, sendo 80 somente na China, uma prova de que é um caminho sem volta e que consegue conviver bem com os parceiros varejistas em todo o mundo.

 

A LEGO reportou que, no 1º semestre deste ano, houve um crescimento de 7% nas vendas e 13% no lucro líquido comparado ao mesmo período do ano passado. As iniciativas de e-commerce favoreceram muito esse resultado. Criaram o “Let’s Build Together”, para proporcionar momentos educativos por meio de brincadeiras para crianças, que viram a vida escolar interrompida pela pandemia. Segundo a própria LEGO, o conteúdo online e as ideias de brincadeiras alcançaram mais de 80 milhões de utilizadores em todo o mundo. Nesse mesmo período, dobrou o número de visitantes em seu e-commerce para mais de 100 milhões, a fim de usufruir de conteúdos e experiências digitais. O mais importante é que a LEGO descobriu o segredo das empresas de maior sucesso do mundo: estratégia de inovação de baixo risco.

 

LEGO e OMO estão provando que é possível inovar em um momento em que é tão difícil crescer vendas nos clientes atuais, e tão caro identificar e abrir novos clientes em mercados tradicionais. Será que sua empresa está investindo em novas fontes de receita ou apenas buscando pequenos incrementos de vendas pensando na meta do mês ou no resultado do quarter?