Web Summit 2021 : 2ª. Parte – As Startups



 

Nessa segunda parte, vou dar um toque de realidade sobre as startups presentes no evento.

 

Não sei se você já esteve em um Web Summit assim vou contextualizar. Nos “zilhares” de metros quadrados do evento, que cabem mais de 42mil visitantes, temos 4 pavilhões. O maior chama-se Center Stage, 4 médios que cabem umas 400 pessoas (sou ruim de chutar esse número, mas gira por aí) e outros vários palcos menores espalhados por todos os cantos. Entre os palcos, temos vários e pequeninos boths com as startups selecionadas pela curadoria do evento, por países que “compram” espaços (Brasil tinha um espaço por lá!) ou empresas como Siemens que levou suas próprias investidas. As startups mais maduras foram para o palco central.

 

Em 2019, as startups estavam bombando mundo afora e tinha muita, mas muita novidade! Em 2021, a situação não foi a mesma, mas nem por isso deixamos de ver soluções excelentes ou que nos fazem refletir sobre o futuro.

 

A Talka AI (https://www.talka.ai) nos surpreendeu com uma solução que através da captura das vozes dos consumidores em vídeos ou conversação (por exemplo, em call center ou chats) consegue traduzir em ofertas, soluções e até oferecer ao marketing palavras, expressões que têm mais conexão com os clientes de cada segmento. Uma solução B2B interessante.

 

Na apresentação da Replai (https://www.replai.io) e da Flutterflow (https://flutterflow.io) percebemos o esforço das startups na busca da simplificação e da produtividade no desenvolvimento de vídeos e soluções de programação. Enquanto a Replai correlaciona elementos e emoções ao desempenho em escala, ajudando as equipes das empresas a identificar o que está funcionando, onde e por que, a Flutterflow facilita a vida dos desenvolvedores para soluções mobile, com uma ferramenta ultra rápida, de qualidade e com “lowcode” (palavra do momento entre os techs). Sim, nos anos anteriores vimos soluções incipientes nesse caminho, mas esse ano as soluções estão maduras e receberam investimentos vultuosos. Alguns dos melhores subiram no palco central.

 

Aí tem as startups bizarras … uma que oferece chocolate 100% sem cacau e totalmente desenvolvido em laboratório através de biotecnologia (QOA – https://qoacompany.com), startups mais do mesmo…solução fiscal, solução financeira e novas soluções de social engagement, sendo a Katch (https://gokatch.com) um bom exemplo de aplicação bacana, mas no meu ponto de vista nada super diferente). Algumas de inteligência artificial que achei o máximo, mas não entendi até agora “o que” e “como” de fato resolvem um problema. No caso a Reface, “seja quem você quiser e “refaceie” qualquer coisa”,  tem uma solução que todos na plateia fizeram UAU! E, entendo que em breve captaremos a que veio de fato (https://hey.reface.ai).

 

E, finalmente as boas surpresas do evento. A Startup Equality Check (https://www.equalitycheck.it) monetiza o tema diversidade com muita inteligência e criatividade, com gamification,  pesquisas e ferramentas interativas desperta temas de diversidade e estimula a conversa dentro das empresas. A ferramenta de checkout da Fast, apesar de não apresentar tanta novidade, o user experience ficou show! Uma inspiração para os ecomm e marketplaces (https://www.fast.co). E claro, para terminar a brasileira Anexth (http://www.anexth.com) conectando pacientes, médicos e farmácias passando por toda a cadeia e interligando com as ofertas.

 

Enfim, claro que eu não consegui ver todas as startups, assim minhas colocações aqui são pessoais e sem foco em um segmento específico. Nossa curadoria foi bem aberta de forma que vimos muito de muito. Todo ano é diferente. Ahhhhh….não eu não esqueci do Metaverse! Esse tema merece um artigo específico. Até o próximo!