Delivery – Os principais pontos de atenção na cadeia para manter o seu negócio seguro



Por Rafaela Natal

A tecnologia tem mudado as escolhas dos consumidores, afetando inclusive em como, quando e onde esse consumidor faz suas refeições diariamente. As operações de foodservice vêm explorando esse ritmo intenso em que vivemos hoje para explorarem outras oportunidades de negócio e, o Delivery de alimentos e bebidas tem sido considerado um impulsionador do mercado foodservice.

 

A participação do foodservice nos gastos com alimentos foi de 34,6% em 2018, segundo a ABIA (Associação Brasileira das Indústrias Alimentícias) e o setor de delivery de alimentos no Brasil demonstra um dos maiores índices de crescimento no mundo, apresentando um crescimento de 19% em 2018 versus 2017. O uso do Delivery por telefone caiu de 77% para 65% de 2017 para 2018 e a utilização de aplicativos/ mobile subiu de 14% para 23% nesse mesmo período.

Em 2018, o setor de delivery via app faturou mais de R$ 10 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e espera-se que esse faturamento seja ainda maior em 2019. A ABF (Associação Brasileira de Franchising), informa que a perspectiva para este ano é que o setor de franchising tenha uma alta no faturamento entre 8% e 10% e que haja um incremento de 5% na geração de empregos. De acordo com 13ª pesquisa ABF Food Service, o delivery apresenta projeção de alta: 66% das redes investiram em serviços de entrega em 2018 e, em 2019, 78% devem direcionar seus recursos para esse segmento.

Com o advento do aumento da participação do Delivery no segmento foodservice, seja como parte de restaurantes físicos, ou como modelo de negócios que opera fora dos restaurantes (chamado de ghost kitchens, cloud kitchens, dark kitchens ou então, cozinhas virtuais), o setor é impulsionado impactando diretamente no crescimento do foodservice.

 

Podemos destacar que a falta de tempo, aliada às dificuldades de mobilidade nas grandes cidades, reforçam a preferência dos consumidores por produtos com entrega em domicílio. Diante desse cenário, o Delivery pode ser uma boa estratégia de venda para quem quer ampliar o faturamento e fidelizar o cliente.

Para a operação de Delivery no foodservice ter sucesso é necessário ter atenção em vários pontos. Toda a cadeia deve ser muito bem controlada, desde a seleção de matérias-primas e de fornecedores, passando pelo recebimento de alimentos e armazenamento de mercadorias, pré-preparo e preparo, embalagem do produto pronto até chegar no transporte até o ponto de entrega do cliente.

A seleção das embalagens é um ponto fundamental para a operação do Delivery. As embalagens precisam ser funcionais, práticas, garantir as temperaturas adequadas para cada tipo de alimento, assegurarem food safety, possuírem o selo inviolável, serem preferencialmente sustentáveis e claro, terem um custo proporcional ao custo do produto para que o CMV (custo da mercadoria vendida) do produto não seja impactado negativamente.

Outro ponto de destaque é a definição do cardápio, que deve ser feita de maneira muito criteriosa para possibilitar ao cliente uma ótima experiência de consumo dos produtos solicitados via Delivery. O alimento precisa ser “viajável”, ou seja, opções que podem não ter uma boa performance durante o transporte e/ou dentro da embalagem devem ser eliminadas do cardápio do Delivery.

No transporte, o alimento e/ou a bebida pode sofrer alguma avaria, por isso é imprescindível testar as embalagens e a maneira como essas embalagens serão acondicionadas dentro da bag ou recipiente de transporte. Hoje o mercado já disponibiliza diversas inovações para otimizar a entrega de alimentos e bebidas, para que tanto os frios quanto os quentes viajem bem.

Os consumidores estão mostrando um grande apetite em ter seu alimento entregue, seja na sua casa, no trabalho ou no momento de lazer, demonstrando que o binômio conveniência/ tecnologia podem saciar esse desejo!  A tecnologia aliada ao setor pode oferecer segurança, reduzir custos, centralizar e gerenciar processos, trazer maior conhecimento sobre seus clientes e melhorar a produção, distribuição e atendimento. O Delivery trás muita conveniência e comodidade aos consumidores e todo esse cenário mostra que o Delivery é promissor, está cada vez mais acessível, fácil e democrático. Essa facilidade de acesso vem transformando e amadurecendo a relação de consumo de alimentos fora do lar.

O Delivery do futuro está diretamente ligado à revolução digital e os investimentos em tecnologias “front of house” (FOH) e “back of house” (BOH)  vêm aumentando em um ritmo acelerado, transformando esse mercado.

E a sua empresa? Está focada em atender a essa demanda? Conhece os processos para implementar um sistema de delivery de alimentação?