Last Mile: O Desafio da Logística



13/03/2017

Por Luiz Felipe Gil

O varejo eletrônico cresce com velocidade acelerada no Brasil, tanto em número de consumidores quanto valor de vendas. Surpreendente também é a quantidade de empresas que compõem este mercado. Em 2015, o comércio eletrônico atingiu um faturamento de R$41,3 bilhões e as projeções para 2016 apontam um crescimento de 18% deste número, algo perto de R$49 bilhões.

Neste patamar de faturamento são grandes os desafios para empresas crescerem e se manterem confiáveis e atrativas para seus clientes. Garantir uma logística eficaz e assertiva, manter os custos competitivos e ter credibilidade perante os clientes passou a ser um diferencial competitivo.

Para ocupar os espaços criados pela demanda dos serviços de qualidade com custos competitivos, a utilização do conceito do “Marketplace” tornou-se uma tendência inevitável. Entre setembro e dezembro de 2016, o total de sellers – vendedores que disponibilizam seus produtos dentro de um Marketplace – cresceu cerca de 24% no Brasil. O rápido crescimento deve-se à popularização do modelo virtual de negócio no país, que, por conta das facilidades e benefícios, tem atraído diversos empreendedores.

Um grande benefício do marketplace é a redução de custo de entrega, principalmente da “última milha” (last mile), seja compartilhando a malha de entrega com os demais sellers do marketplace, ou usando serviços de empresas especializadas nesta modalidade. Você sabia que cerca de 28% do custo de entrega total para um negócio vem da última milha? Estes custos são afetados pela extensão da malha urbana, restrições de veículos e horários de entrega, taxa de insucessos e reentregas, entre outros fatores.

Além do Marketplace, uma nova tendência para atender estas expectativas e manter os custos com entregas em níveis aceitáveis vem se consolidando no mercado, as chamadas Parcel Shops. As Parcel Shops são joint businness plan (JBP) entre duas empresas, onde o cliente faz uma compra numa loja virtual e depois retira em uma loja física, sem necessariamente uma tem relação com a outra. Pode-se comprar uma camisa pela internet e retirar em uma loja de ferramentas, por exemplo.

Dois exemplos atuais de parcel shops são os da Uniqlo-7Eleven e o da eBay-Argos. No caso da Uniqlo-7Eleven as companhias se uniram para criar um serviço no qual os consumidores do e-commerce da Uniqlo podem retirar seus pedidos em qualquer uma das 805 lojas em operação da 7Eleven no Japão, sem qualquer custo adicional. No caso da eBay-Argos, no Reino Unido, alguns produtos vendidos através do eBay são coletados na casa do vendedor e enviados para lojas da Argos, onde são posteriormente retirados pelo comprador.

A adoção do modelo de Parcel Shops traz diversas vantagens para os consumidores, vendedores e lojas parceiras, sendo as principais:

  • Redução do custo de frete, pois a pulverização de entregas é menor, os tempos de carga e descarga são mais conhecidos, assim como os horários de pico de trânsito para determinada rota.
  • Maior taxa de sucesso de entregas, pois é o cliente que vai buscar a mercadoria em uma loja, eliminando-se a variabilidade de não ser encontrado no endereço de entrega.
  • Aumento de fluxo nas lojas físicas onde o cliente vai realizar a coleta, aumentando as vendas para a parcel shop.
  • Maior comodidade para o cliente, que pode escolher o local e horário mais conveniente para retirada, seja próximo ao trabalho, residência, etc. Além disso algumas lojas podem ser 24hrs, aumentando ainda mais a conveniência para o cliente.
  • Redução da ocorrência de fraudes na compra
  • Redução do custo de logística reversa e devoluções

O que percebemos então é que os modelos tradicionais de comércio e logística já não oferecem mais respostas satisfatórias às demandas atuais de nível de serviço e custos. As empresas que quiserem se manter vivas no jogo terão que pensar em estratégias disruptivas, novas parcerias e modelos de gestão, maior adoção de tecnologias e capacitação constante de seus colaboradores.

Seja a sua organização nova ou mais antiga, comece já sua reinvenção. E a melhor hora é agora, sempre! E nós da AGR estamos dispostos a ajudar nesse sentido, só falar conosco!


VEJA TAMBÉM

Compartilhar?