Papo Jedi: O Iphone faz 10 anos e minha empresa com isso?

21/03/2017

Por Ricardo Baccarat

Vivemos uma constante evolução tecnológica, sempre com aquela pergunta retórica: não tem como inventar mais nada? Logo em seguida, aparece algo disruptivo, abrindo um mercado antes inexistente, nos influenciando e mudando a maneira como executamos tarefas, pensamos e agimos.

Em 9 de janeiro de 2007 a Apple lançou o primeiro Iphone, fazendo com que nossas vidas mudassem sensivelmente a partir de então. A tecnologia já utilizada no Ipod Touch, transformou o celular no smartphone. Some-se a essa inovação o aumento da disponibilidade de banda, criou-se assim uma gama de possibilidades infinitas, que antes eram limitadas ou inexistentes. Essa nova experiência gerou expectativas da aplicabilidade desta inovação em outras situações do dia a dia, uma demanda na velocidade de adaptação de tudo que está a nossa volta. Qualquer coisa diferente, neste novo patamar de possibilidades, torna-se obsoleto e nos leva a uma grande frustração.

A Apple no passado recente e agora Google e Facebook, são consideradas as marcas que mais influenciam o estilo de vida dos consumidores, segundo pesquisa divulgada recentemente (Retail Consumer Research 2016). Novamente, os smartphones facilitaram acesso as redes sociais, tornando possível estarmos constantemente conectados com essas empresas e suas soluções, requisitando velocidade necessária para que as experiências geradas façam parte de diversos momentos.

Um exemplo da força desta adaptação são as operadoras de TV tradicionais, que sofreram duro golpe, tendo agora YouTube e Netflix disputando a atenção dos consumidores. A primeira passou a disponibilizar conteúdo de alguns canais de TV tradicional, esportes, séries e conteúdo próprio mediante uma assinatura bem mais em conta. Já a segunda liberou baixar conteúdo off-line, permitindo que o usuário acesse a qualquer hora e lugar por meio de dispositivos pessoais.

Aproveitando esse momento, as companhias aéreas já estão substituindo a utilização das telas das poltronas pelos smartphones ou tablets dos próprios passageiros, provendo conexão wi-fi e conteúdo, reduzindo custos de equipamentos, manutenção e peso. Estima-se que essa redução economize até 680kg de um avião.

No Brasil, ainda vemos a utilização dos smartphones aumentar significativamente: a categoria representou aproximadamente 84% das vendas de telefones móveis em 2016! Com o importante destaque para o volume de pessoas que já utilizam os smartphones de forma mais frequente, em torno de 62% dos brasileiros – Google Consumer Barometer. Certamente, Varejistas que possuem aplicativos ou sites adaptados para o mobile estão um passo à frente. Mas, somente o aplicativo já não é suficiente, surpreender o consumidor se faz fundamental.

Vemos em nossos clientes que o ritmo de adaptação de canais às exigências dos consumidores ainda é lento. Dessas exigências do consumidor atual quantas conseguimos cumprir? Quantos varejistas conseguem disponibilizar a consulta de estoques de produtos da loja física, via web ou aplicativo? Quantos conseguem enviar ofertas em tempo real? Quantos possuem cadastro de seus clientes e conseguem identifica-los de forma inteligente? Quantos conseguem enviar o produto no mesmo dia ou no dia seguinte? Quantos estão preparados para trocar pontos de programa de fidelidade ou cupons de desconto no momento do check-out?

Esses são alguns exemplos de exigências dos clientes que já estamos sendo cobrados. Você já consegue cumprir bem as exigências acima? Melhor se preparar.

#agrpalpiteira

Compartilhe esta página: