Gamificação ou Gamification? Sabe o que é?



Por Gustavo Khappaz

O mercado de trabalho de hoje já é ocupado pela nova geração que nasceu em contato com jogos eletrônicos. Suas interfaces, design e modo de operação já estão na cabeça dessa geração. Esse novo termo gamificação é justamente a ideia de trazer técnicas de design e elementos de jogos eletrônicos para contextos fora de jogos, mas como isso pode ajudar no desenvolvimento da sua empresa e dos seus colaboradores?

Em primeiro lugar, gamificação não são jogos ou atividades do RH de uma empresa, são um sistema ou plataforma de engajamento de clientes e colaboradores. Tenho certeza que todos já interagiram com algum tipo de gamificação sem nem saber da existência desse termo, um dos exemplos mais conhecidos são os programas de fidelidade do cartão de crédito ou qualquer de qualquer empresa, que nada mais são do que um acúmulo de pontos após a realização de determinadas tarefas pré-estabelecidas, como em qualquer jogo quanto mais avançar mais pontos ganha.

Outros exemplos comuns dessa técnica, que são muito evidentes em aplicativos de celular, são rankings de colocações ou medalhas (badges) após a conclusão de algum objetivo especifico, como aplicativos de atividades físicas ou de controle de alimentação, por exemplo, o app da Nike Run.

Existe no Brasil um aplicativo somente para o gerenciamento de pessoal comercial e de vendas através de conclusão de tarefas com esse sistema de recompensas e ranking, o Trade Rally, por exemplo. O próprio linkedin mede o preenchimento do seu perfil profissional e mostra o percentual a ser complementado. Consulte o seu perfil e veja se você já é um All Star.

Mas como esses elementos e recursos de jogos podem ajudar? Eles geram motivação e engajamento em atividades onde esse grau de dedicação não é fácil de conseguir. Promoções de marketing, fidelidade na área de vendas e engajamento do consumidor no site ou no aplicativo são alguns exemplos em que a gamificação é útil para os clientes.

Por outro lado, é possível criar sistemas de pontuação para o cumprimento de processos do RH, produtividade em sistemas e até ajuda voluntaria em algumas tarefas. A Microsoft apresentou um exemplo bem legal desse último ponto. Ao desenvolver uma nova plataforma para o mercado indiano, a empresa disponibilizou uma versão de teste para todos os funcionários daquele país. O objetivo era encontrar erros de gramatica e design. Como recompensa, os primeiros colocados no ranking de pontuação ganharam prêmios e tiveram seus nomes divulgados na intranet da empresa. Foram mais de 4.000 funcionários que participaram desta revisão sem custos adicionais e eles acharam em torno de 7.000 bugs na nova plataforma, somente pelo fato dessa revisão ser feita em formato de jogo e em um modo competitivo.

Essa nova ferramenta também pode ser usada como um agente de mudança cultural, tanto para assuntos da própria empresa como na vida pessoal. Algumas empresas criaram sistemas de ranking para incentivar os funcionários a se exercitarem, aumentar a reciclagem em casa e na empresa e melhorar o controle de suas finanças pessoais.